PESQUISADORES VÃO À CHINA REPRESENTAR O CDTS E A INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL

Conteúdo da notícia: 

Por Gardênia Vargas

Os pesquisadores Andressa Durans, Paloma Pêgo e Guilherme Lechuga, embarcam para China ao lado Coordenador-Geral Carlos Medicis Morel para representar o Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz) na 1ª reunião anual do Centro de Excelência para Doenças Infecciosas Emergentes - CAS-TWAS Centre of Excellence for Emerging Infectious Diseases (CEEID). As apresentações de pesquisas que envolvem o desenvolvimento de um teste com eficácia em diagnóstico preciso para arboviroses fazem parte da conferência de biotecnologia da China, em Chengdu, Sichuan, entre 9 e 15 de novembro. O convite partiu do presidente da Sociedade Chinesa de Biotecnologia, George Gao Fu.

 

Legenda: Pesquisadores explicam estudos que vão respresentar CDTS na China 

 

Representar o desenvolvimento de projetos em tecnologia e saúde, mostrar o que o Brasil vem produzindo e prospectar uma possível parceria para uma escala industrial da pesquisa translacional são os objetivos dessa turma que segue para o outro lado do mundo para se aventurar em nome da saúde pública no país. As três pesquisas a serem divulgadas se complementam, ou seja, se tocam em algum ponto e fazem parte de um processo de desenvolvimento de patente para teste ouro em diagnóstico para Doença de Chagas, que também poderá ser utilizado para o vírus Mayaro, entre outras arboviroses (ainda em testes). 

A pesquisadora Andressa Durans vai apresentar a pesquisa denominada Proteínas quiméricas decavalentes para o uso no diagnóstico sorológico da Doença de Chagas crônica, que traz à luz um potencial produto a ser desenvolvido e fabricado no Brasil, o teste com eficácia em diagnóstico preciso, que pode gerar melhor qualidade de vida ao paciente, agilidade no tratamento para a enfermidade e, assim, baratear consideravelmente os custos do diagnóstico da doença no país. 

Paloma Pêgo, que  pesquisa o vírus Mayaro, vai difundir o conhecimento sobre essa arbovirose - que se assemelha muito com o já conhecido Chikungunya -, seu mapeamento, e comprovar que, se usado o teste de diagnóstico preciso para a doença e sua identificação, poderá auxiliar na vigilância e controle desse vírus, em seu trabalho sobre Desenvolvimento de um reagente diagnóstico inovador para infecção pelo vírus Mayaro.

Já os Avanços nos teste rápidos de diagnósticos ficam por conta do pesquisador Guilherme Lechuga. Seus conhecimento em impressora 3D foram somados às pesquisas em Biotecnologia e trouxeram um modelo em 3D para análise de teste de diagnóstico rápido que, mesmo em fase de teste,  propõe a aplicação prática para as proteínas quiméricas descobertas pela pesquisa de Andressa e aplicada na pesquisa de Paloma.  

 

A Sociedade Chinesa de Biotecnologia vai levar cerca de 40 especialistas em todo o mundo para discutir saúde pública, infecção por patógenos, via de sinalização, imunologia de infecções, vanguarda da vacina moderna, nova tecnologia, estratégia e perspectiva de o futuro da saúde humana. A equipe do CDTS/Fiocruz é composta pelo Coordenador-Geral Carlos Médicis Morel, junto com os pesquisadores andressa Durans, Paloma Pêgo, Guilherme Lechuga e André Lobato. 

 

SOBRE CEEID 

CEEID formalmente estabelecido em 2018. Este Centro aproveita plenamente as diferentes áreas de pesquisa do CAS, faz uso total das plataformas de pesquisa para EID do Instituto de Microbiologia (IMCAS), Centro de Pesquisa e Alerta Pré-Influenza (CASCIRE), o Institut O Pasteur de Xangai (IPSCAS) e o laboratório Nível de biossegurança 4 (BSL-4) do Instituto Wuhan de Virologia (WIVCAS), para construir um centro nacional de cooperação e comunicação em pesquisa com todos os países em desenvolvimento. O CEEID se concentrará nas questões científicas de fronteira no campo da EID e nas demandas estratégicas para a segurança biológica do nosso país, para fornecer um grande apoio à execução da estratégia de administração global e princípios econômicos.

 

Leia Também