Seminário do CDTS online recebe Camila Guindalini em outubro

Conteúdo da notícia: 

Empreendedorismo acadêmico e implementação com sucesso de novas ideias foi o tema central da palestra da pesquisadora que está à frente do laboratório de biologia molecular da Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19, no Rio.

Card photo created by rawpixel.com - www.freepik.com<

O Seminário do CDTS online recebeu, em outubro, a pesquisadora Camila Guindalini, atual coordenadora do laboratório de biologia molecular da recém-inaugurada Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 (Fiocruz - RJ).  Guindalini, que voltou ao Brasil em 2020 depois de um ano na Austrália, onde realizou o Pós-doutorado em Empreendedorismo Acadêmico, na University of Queensland Business School, trouxe a aceleração da jornada entre a descoberta científica e a comercialização de produtos e serviços na área da saúde como tema da palestra. 

O Seminário começa com dados retirados do Portal do Observatório da Fiocruz, que demonstram a desproporção entre projetos financiados e patentes depositadas no Brasil nos últimos anos - sabendo que patentes não são necessariamente inovação, nem projetos, produtos viáveis. “Se compararmos aos Estados Unidos, China ou Europa, o Brasil está bastante aquém”, afirma Guindalini, que também esclarece o significado de Empreendedorismo acadêmico, segundo a University of Queensland Business School: “Envolvimento de pessoal acadêmico, incluindo professores, estudantes e funcionários de universidades e outras organizações de pesquisa, em atividades de comercialização com o objetivo de transferir conhecimento científico para o mercado na forma de criação de patente, licenciamento, startups e spin-offs”. 

A importância das universidades e das instituições de pesquisa é exaltada por Guidalini como grande força na solução de problemas, e grifadas para momentos como estes atuais, de crise na área da saúde. “Existe, portanto, um montante de recursos sendo investidos, e hoje a sociedade clama e aguarda que retornem de alguma forma para a sociedade”, explica a pesquisadora.

Guindalini traz diferentes formas de comercialização da produção das áreas de pesquisas, sugere caminhos de como melhorar a transferência de tecnologia do meio acadêmico para o mercado. Demonstra etapas necessárias para que o empreendedorismo aconteça linearmente. Conversa sobre o como fazer para passar a etapa mais difícil desta transferência de tecnologias. E fala sobre como transformar uma ideia em uma inovação. 

“Muitos pesquisadores não querem ser empreendedores. E tudo bem. Podemos juntar as expertise. Alunos de MBA junto a cientistas, por exemplo. E assim, pensar como essa ideia pode agregar valor, como essa tecnologia pode resolver um problema, para então, receber o investimento necessário. O problema precisa ser pessoal,ou seja, a pessoa que vai tomar a decisão precisa entender aquilo como algo que de fato precisa ser resolvido, e é a sua ideia que será a grande solução para o problema”, incentiva Guindalini, que segue a palestras com dicas e exemplos do mercado nacional e internacional. Veja o seminário completo nosso canal no Youtube:

Por Gardênia Vargas
Equipe de Comunicação do CDTS

Leia Também

agario agario unblocked yohoho yohoho unblocked slitherio unblocked agario unblocked agario unblocked games io games unblocked slither.io unblocked slope unblocked 1v1.lol unblocked snake game cookie clicker unblocked retro bowl unblocked yohoho unblocked github yohoho.io yohoho