NOTÍCIAS

Opinião de especialista

Marcio L. Rodrigues

“Estudos demonstram um inquestionável quadro de negligência no que se refere a investimentos em pesquisa e inovação na área de micoses humanas”

Agenda

dom seg ter qua qui sex sab
 
 
 
 
1
 
2
 
3
 
4
 
5
 
6
 
7
 
8
 
9
 
10
 
11
 
12
 
13
 
14
 
15
 
16
 
17
 
18
 
19
 
20
 
21
 
22
 
23
 
24
 
25
 
26
 
27
 
28
 
29
 
30
 
 

PARA QUE EXISTIMOS

O Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS) foi criado para acelerar processos de inovação na área de saúde. Ele é o interlocutor que estimula a conexão entre a geração de conhecimento básico, o desenvolvimento tecnológico e a produção voltada às necessidades da população.

Sua missão é desenvolver novas ferramentas, produtos ou serviços para uso em saúde pública, a partir do conhecimento científico e tecnológico gerado em universidades e centros de pesquisa.

Inovação em saúde é a geração de produtos, serviços e políticas para melhorar as intervenções sanitárias e biomédicas (vacinas, fármacos, biofármacos, métodos e reativos para diagnóstico) destinadas às populações que delas necessitam, onde quer que estejam..

NOSSA MOTIVAÇÃO

Hoje, no Brasil, a pesquisa básica e a pesquisa aplicada (voltada ao desenvolvimento de produtos para a sociedade) acontecem de modo isolado. A ciência translacional, área que tem experimentado um notável crescimento em todo o mundo, surge para construir a ponte entre essas duas atividades, de modo a gerar benefícios para a população.

O desenvolvimento tecnológico de processos e produtos na área da saúde demanda recursos humanos, instalações, equipamentos, formas de organização, gestão e processos de trabalho próprios, que não se confundem com os das atividades de pesquisa.

Dentro desse cenário, a motivação do CDTS é facilitar a relação entre as competências e excelências existentes na Fiocruz e parceiros nacionais e internacionais, visando promover a ciência translacional e preencher a lacuna existente entre ciência, tecnologia e produção no Brasil.

Assim, o CDTS busca tornar-se um centro tecnológico de referência em inovação e gestão em saúde, capaz de desenvolver produtos e processos inovadores para solucionar questões de saúde demandadas pela população, especialmente a brasileira.

Nossa Origem

A criação do CDTS é um projeto estratégico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ela foi proposta pela Presidência da Fiocruz e aprovada em Resolução do IV Congresso Interno da Fundação, em novembro de 2002. Em novembro de 2015, o VII Congresso Interno vinculou o CDTS diretamente à Presidência da Fiocruz, atribuindo ao Centro a competência de realizar atividades de referência em ciência translacional para o desenvolvimento de produtos e processos para a saúde.

Com a criação do CDTS, a Fiocruz fortalece o conjunto internacional de instituições voltadas para a inovação e a pesquisa translacional na área da saúde. Essas atividades se juntam às suas já conhecidas e consolidadas ações de suporte ao Sistema Único de Saúde do Brasil.

NOSSO COMPROMISSO

- Colaborar na articulação, gestão e realização de ações da rede de desenvolvimento tecnológico e da inovação da Fiocruz;

- Facilitar o desenvolvimento tecnológico e inovação de produtos e processos em saúde;

- Oferecer serviços tecnológicos com base nas suas plataformas, laboratórios de apoio e laboratórios flexíveis;

- Realizar parcerias intra e interinstitucionais no campo da ciência translacional;

- Prospectar, analisar e divulgar estudos estratégicos relacionados à cadeia de desenvolvimento tecnológico e inovação em saúde.

NOSSA ATUAÇÃO

Para cumprir sua missão de estimular a inovação em saúde, o CDTS atua em duas frentes principais: o desenvolvimento de produtos e processos para a saúde e a prestação de serviços tecnológicos. Essas duas frentes privilegiam o trabalho colaborativo, mediante parcerias internas, nacionais e internacionais

Tem o objetivo de gerar soluções para a área da saúde por meio de projetos de desenvolvimento tecnológico, especialmente biomoléculas necessárias para o desenvolvimento e produção de vacinas, biofármacos e reativos para diagnósticos de importância em saúde pública.
Os projetos são iniciados a partir de uma encomenda de solução em saúde, feita pelo Ministério da Saúde com base nas necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), da sociedade brasileira e de parceiros internacionais do Ministério, como governos de outros países e entidades internacionais de saúde. Para formar um projeto de desenvolvimento tecnológico, buscam-se soluções potenciais para essa encomenda nas unidades da Fiocruz ou em outras instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil e no exterior. A iniciativa privada também pode apresentar soluções em desenvolvimento que articulem parcerias para produção e financiamento de projetos.

Prestação de serviços tecnológicos
Destina-se a clientes que não sejam os projetos de desenvolvimento tecnológico do CDTS, como outras unidades da Fiocruz, outros institutos de pesquisa, pesquisadores em geral, empresas do setor privado e o Ministério da Saúde.

O CDTS tem dois tipos de serviço para clientes externos:

- Serviços prestados pelas plataformas tecnológicas para desenvolvimento de projetos dentro de sua área de atuação, disponibilizando seus equipamentos, infraestrutura e equipe;

- Serviços de consultoria em soluções para a saúde, que têm como objetivo principal apoiar o Ministério da Saúde na seleção de medicamentos para o tratamento das doenças definidas como prioritárias para o atendimento pelo SUS.